Arquivo

Arquivo do Autor

CNC presente no Cassino Cine Vídeo 2009

Começou ontem o Cassino Cine Vídeo 2009, evento que está sendo realizado na sede do Ponto de Cultura ArtEstação, na avenida Rio Grande, 500, de 2 a 31 de outubro. Trata-se de uma mostra que envolve palestras, bate-papos, cineclubismo e mutirão criativo, com o objetivo de valorizar a produção brasileira, divulgando trabalhos realizados por produtores locais, regionais e internacionais, além de estimular a formação de público, propiciar espaços de aprendizado na linguagem audiovisual e promover discussões e reflexões acerca da arte e cultura audiovisual e questões ambientais.

Para o fim de semana, a programação inclui uma palestra sobre cinema nacional pós anos 1990, com o professor e diretor regional sul do CNC, Gilvan Dockhorn da Unidade Descentralizada da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), às 15h, Mostra das produções Insanidades, Anônimos, Faltam 05 Minutos, Fome de quê? e bate-papo com o diretor e vice presidente do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes, Luiz Alberto Cassol, também de Santa Maria, às 17h. Às 21h, será realizada a exposição Making off. No domingo, o público poderá participar de um mutirão criativo às 15h

Confiram em:
http://cassinocinevideo.blogspot.com/

.

Anúncios

Morreu Mercedes Sosa

Mercedes Sosa, La Negra, conquistou grande reconhecimento internacional como cantora da música argentina e popular latino-americana.

Buenos Aires – A cantora argentina Mercedes Sosa morreu, neste domingo em Buenos Aires, aos 74 anos, vítima de doença prolongada. A cantora é uma das intérpretes mais conhecidas da música latino-americana.

Também conhecida como “La Negra”, pelos longos e negros cabelos, a cantora argentina estava internada numa clínica da capital argentina desde o dia 18 de Setembro.

Militante comunista, Mercedes Sosa esteve exilada na Europa durante a ditadura militar na Argentina (1976-1983) e ganhou grande reconhecimento internacional como cantora da música argentina e popular latino-americana.

Devido ao estado de saúde, La Negra não participou do lançamento de um duplo álbum com o título “Cantora”, composto por duetos com Joan Manuel Serrat, Luís Alberto Spinetta, Caetano Veloso e Shakira.

Em Portugal, Mercedes Sosa atuou em 1979, na primeira Festa do Avante, no Alto da Ajuda, em Lisboa.

Desde La Voz de la Zafra

Descoberta aos quinze anos de idade, cantando numa competição de uma rádio local da cidade natal, quando foi-lhe oferecido um contrato de dois meses. Admirada pelo timbre de contralto, gravou o primeiro disco Canciones con Fundamento, com um perfil de folk argentino.

Consagrou-se internacionalmente nos EUA e Europa em 1967, e em 1970, com Ariel Ramirez e Felix Luna, gravando Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas. Gravou um tributo também à chilena Violeta Parra.

Sosa interpretou um vasto repertório, gravando canções de vários estilos. Atuava freqüentemente com muitos músicos argentinos como León Gieco, Charly García, Antonio Tarragó Ros, Rodolfo Mederos e Fito Páez, e outros latino-americanos como Milton Nascimento, Fagner e Silvio Rodríguez.

Foi uma conhecida ativista política de esquerda, tendo sido militante comunista. Em tempos mais recentes manifestou-se como forte opositora da figura de Carlos Menem e apoiou a eleição do ex-presidente Néstor Kirchner.

A preocupação sócio-política refletiu-se no repertório interpretado, tornando-se uma das grandes expoentes da Nueva Canción, um movimento musical latino-americano da década de 60, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas. No Brasil, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros artistas, são expressões da Nueva Canción, marcada por uma ideologia de rejeição ao que entendiam como imperialismo norte-americano, consumismo e desigualdade social.

Possuia um dueto (“So le piedo a Dios”) com a consagrada cantora de Samba Beth Carvalho, cada uma cantando no seu idioma.

Destacamos também o dueto dela com o cantor cearense Fagner na música Años, sucesso gravado em 1981.

Uma música muito conhecida na sua firme e, ao mesmo tempo, terna voz é a canção “Gracias a la vida”, composição de Violeta Parra.

Discografia

La voz de la zafra (1962)
Canciones con fundamento (1965)
Yo no canto por cantar (1966)
Hermano (1966)
Para cantarle a mi gente (1967)
Con sabor a Mercedes Sosa (1968)
Mujeres argentinas (1969)
Navidad con Mercedes Sosa (1970)
El grito de la tierra (1970)
Homenaje a Violeta Parra (1971)
Hasta la victoria (1972)
Cantata Sudamericana (1972)
Traigo un pueblo en mi voz (1973)
Niño de mañana (1975)
A que florezca mi pueblo (1975)
La mamancy (1976)
En dirección del viento (1976)
O cio da terra (1977)
Mercedes Sosa interpreta a Atahualpa Yupanqui (1977)
Si se calla el cantor (1977)
Serenata para la tierra de uno (1979)
A quién doy (1980)
Gravado ao vivo no Brasil (1980)
Mercedes Sosa en Argentina (1982)
Mercedes Sosa (1983)
Como un pájaro libre (1983)
Recital (1983)
¿Será posible el sur? (1984)
Vengo a ofrecer mi corazón (1985)
Corazón Americano (1985) (con Milton Nascimento & León Gieco)
Mercedes Sosa ´86 (1986)
Mercedes Sosa ´87 (1987)
Gracias a la vida (1987)
Amigos míos (1988)
En vivo en Europa (1990)
De mí (1991)
30 años (1993)
Sino (1993)
Gestos de amor (1994)
Oro (1995)
Escondido en mi país (1996)
Alta fidelidad (1997) (con Charly García)
Al despertar (1998)
Misa Criolla (2000)
Acústico (2002)
Argentina quiere cantar (2003) (con Víctor Heredia & León Gieco)
Corazón Libre (2005)

Filmografia

Güemes, la tierra en armas (1971)
Argentinísima (1972)
Ésta es mi Argentina (1974)
Mercedes Sosa, como un pájaro libre (1983)
Será posible el sur: Mercedes Sosa (1985)
Historias de Argentina en Vivo (2001)

Fonte: Wikipédia

Dawson, Isla 10. Um filme para ser visto.

Estive na pré-estreia do filme “Dawson, Isla 10“, do cineasta chileno Miguel Littin.

Realizada no Cine SesC Augusta, em São Paulo o evento aconteceu dentro da programação do II Congresso de Cultura Ibero-americana que reuniu Ministros da Cultura dos países iberoamericanos em São Paulo. Na platéia muitos amigos e o Ministro Juca Ferreira.

Com fotografia e som impecáveis – fato ressaltado pela qualidade de projeção da Sala do Cine SesC da Augusta, competência de narrativa e abordagem do tema proposto. Ritmo. O filme emocionou todos os presente e eu confessadamente, gostei muito.

Como esperado, ao final a platéia completamente lotada, aplaudiu de pé e demoradamente o filme.

Segundo Maria do Rosário Caetano, em seu Almanakito, Dawson, Isla 10 já estreou com sucesso no Chile e  que entra em cartaz no Brasil em novembro, vai concorrer ao Prêmio de Melhor Filme do Festival Internacional de Roma, em outubro, além de ter sido indicado para disputar pelo Chile o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. É uma co-produção Chile, Brasil e Venezuela, e tem a Petrobras como um de seus patrocinadores.

Confira o Trailer
Dawson, Isla 10

Dawson, Isla 10,
de Miguel Littin

O cineasta e escritor retoma, neste filme, ao seu grande tema, o golpe militar que em 1973 vitimou Salvador Allende e milhares de chilenos, dando início a uma das mais longas e sangrentas ditaduras da América Latina. Considerado um dos mais importantes cineastas latino-americanos e autor de filmes como Actas General de Chile, Actas de Marusia e Alsino e el Cóndor, os dois últimos indicados ao Oscar de Melhor Filme estrangeiro, Littin reconstrói em Dawson, Isla 10, o sofrimento de centenas de expoentes do governo Allende que foram aprisionados em um pedaço de terra de clima antártico perdido no meio do mar, a 100 km da costa sul do Chile. Para tanto, Littín baseou-se no livro Isla 10, de autoria do então ministro das Minas e Energia do governo Allende, Sergio Bitar, que atualmente também é ministro do governo de Michelle Bachelet. A partir da narração em off de Bitar, interpretado pelo ator chileno Benjamín Vicuña, a película retrata o sofrimento e as dificuldades de um grupo de prisioneiros na Ilha 10, onde funcionou uma espécie de campo de concentração projetado pelo criminoso de guerra nazista Walter Rauff, então refugiado no Chile.

Co-produzido pela baiana VPC Cinema, do produtor Walter Lima, e utilizando técnicos e atores brasileiros no cast, como Bertrand Duarte (Alma Corsária) e Caco Monteiro, Littín mistura cenas reais, como o bombardeio ao Palácio de La Moneda e os minutos finais de Allende ainda vivo e de arma em punho, entrincheirado em sua sala, à reconstituição do sofrimento e tortura psicológica de um grupo prisioneiros políticos. Para dar mais verossimilhança a algumas cenas, Littín chega ao requinte de usar a câmera dentro de um saco, reproduzindo a sensação claustrofóbica de um personagem com o rosto encoberto. O golpe militar chileno em 1973 obrigou Miguel Littín a se exilar no exterior, de
onde combateu o ditador Augusto Pinochet à distância. Ao contrário de 1985, quando retornou ao Chile disfarçado e realizou Actas General de Chile, que Gabriel Garcia Márquez descreveu em A Aventura de Miguel Littin clandestino
no Chile, agora o diretor teve toda a liberdade para reconstituir as atrocidades da ditadura Pinochet. Um dos seus trunfos foi filmar na própria Isla 10, graças à autorização das atuais forças armadas chilenas. Segundo Littín, o filme é importante para demarcar o espaço da memória não somente no Chile, como também em outros países que viveram processos ditatoriais e jogaram suas vergonhas do passado embaixo do tapete: “O medo foi uma grande limitação do processo democrático chileno. Porém, temos que dissipar esse medo. Uma sociedade que perde a memória perde capital social e se torna estúpida. Por isso, dou muita importância ao meu filme”.

Dawson, Isla 10
Título original / Original Title: DAWSON ISLA 10 – Titulo ingles / English
title: DAWSON, ISLAND 10

Año de Rodaje / Shooting Date: 2008-2009
Año de Realización / Production Date: 2009
Género/ Genre: Ficción – Drama / Fiction – Drama
Pais(es) / Country: CHILE – BRASIL – VENEZUELA

Empresa Productora / Production Company: AZUL FILMS – VPC CINEMA PRODUÇOES ARTÍSTICAS
Empresa Co-productora/ Co-production Company: VILLA DEL CINE (VENEZUELA)

Director: MIGUEL LITTIN
Productor Ejecutivo / Executive Producer: MIGUEL LITTIN / WALTER LIMA / M.IOAN LITTIN MENZ
Guión / Screenplay: MIGUEL LITTIN
Director de Fotografía / Cinematography: MIGUEL IOAN LITTIN, aec
Director de Arte / Art Director: CARLOS GARRIDO
Montaje / Editor: ANDREA YACONI
Música / Music: JUAN CRISTÓBAL MEZA
Sonido Directo / Live Sound: NICOLÁS HALLET / SIMONE DOURADO
Diseño De Sonido / Sound Design: MIGUEL HORMAZÁBAL
Maquillaje: GUADALUPE CORREA
Vestuario: MARISOL TORRES
Productores Asociados: CRISTIÁN DE LA FUENTE / ALEN CINE / CRISTINA LITTIN MENZ
Director De Producción: JORGE INFANTE
Productor Delegado: HERNAN LITTIN
Jefe De Producción: JULIO JORQUERA

Actores / Actors
BENJAMÍN VICUÑA
BERTRAND DUARTE
PABLO KRÖGH Y CRISTIÁN DE LA FUENTE
Sergio Hernández, Luis Dubó, Caco Monteiro, Horacio Videla Matías Vega, Alejandro Goic

Elenco / Cast: Mario Bustos, Enrique Espíldora, Victo Hugo Ogaz, Juan Carlos Brown, Daniel Antivilo, Ramón González, Alex Rivera, Raúl Sendra, Elvis Fuentes, Luis Bravo, Sergio Allard, Nicolás Klein, Guillermo Salinas, Ivan Fuentes,
María Olga Matte y Daniel Alcaíno

Formato: 35mm. Duração: 100 min. Local de filmagens: Dawson (Chile) /
Santiago (Chile) – Data de estreia: September 10th 2009 (CHILE)

Site: www.dawsonlapelicula.com

Miguel Littin.

Palmilla, Colchagua,Chile. Se licencia en Arte Dramático en la Universidad de Chile. Escribe y adapta numerosas obras de teatro, destacándose El Hombre De Las Estrellas.

A los 25 años filma El Chacal de Nahueltoro, que se convierte rápidamente en un éxito de crítica y taquilla, transformándose en un clásico de la cinematografía nacional e internacional. A lo largo de su carrera a recibido innumerables premios y distinciones. Recibe del gobierno francés la condecoración de Caballero de las Artes y las Letras de Francia en grado oficial.

En el 2002 México lo condecora con su máxima distinción, La Orden Águila Azteca. Ha sido 2 veces nominado al Oscar de la Academia, por Actas de Marusia y Alsino y el Cóndor. (Mejor film extranjero). Ha escrito y publicado 2 novelas EL VIAJERO DE LAS 4 ESTACIONES (Mondadori) y EL BANDIDO DE OJOS TRANSPARENTES (Seix Barral). El Premio Novel de Literatura Gabriel García Márquez escribe el libro “La Aventura de Miguel Littin Clandestino en Chile” basado en la experiencia del director.

Igreja Católica promove Cine Cristo

O grupo de jovens da Igreja Católica que fazem parte do “Segue-Me” realizam hoje a partir das 19h30, mais uma sessão do Cine Cristo no Salão Paroquial em frente ao prédio dos Correios.
Coordenado pelos jovens Márcio Lima Júnior, Rodrigo Cruz e João Guilherme Gavino Dantas, nesta edição será exibido o filme “Sim, Senhor”, uma comédia com Jim Carey baseada no livro do comediante britânico Danny Wallace. Segundo João Guilherme, a iniciativa visa oferecer uma opção de lazer a mais aos aquidauanenses, acompanhado de um momento de oração e espiritualidade. “Nossa proposta é integrar as pessoas, criar uma interação, além de evangelizar”, afirma o jovem.
Para os próximos meses, a equipe de jovens do “Segue-Me” pretende levar o projeto para demais comunidades católicas, principalmente nos bairros carentes. Além da entrada franca, serão distribuídos pipoca gratuitamente para os que prestigiarem a sessão.
Fonte: ACS/Aquidauan

Policias militares de Alagoas participam de sessão de cinema

Policiais militares do Batalhão de Polícia Escolar participaram na manhã desta sexta-feira (03) de mais uma etapa do Programa “Cine Escolar”. A atividade, que visa motivar a interação e o convívio com as diferenças dentro da tropa por meio da exibição de filmes, é realizada uma vez por semana.

“Procuramos conhecer quais eram as principais dificuldades evidenciadas pelos policiais militares e depois de uma análise, implantamos algumas medidas que pudessem proporcionar um melhor meio de trabalho para todos”, explicou a comandante do BPEsc, major Fátima Escaliante sobre a iniciativa de reunir os policiais para a sessão de cinema.

Para a sargento Josilene Soaras, o filme ajudou a trabalhar a auto-estima da tropa e a ter um conhecimento mais profundo sobre o ser humano. Já o soldado J. Gomes disse que a reflexão sobre mudanças de atitudes foi o principal ponto a ser observado. “As pessoas sempre passam por conflitos para decidir o que é certo. Quando parece que tudo vai dar mal a vida nos dá a chance de dar a volta por cima e vemos que há oportunidade para seguir novos caminhos”, enfatizou.

Os policiais dialogaram acerca das perspectivas mostradas pelo filme Sete Anos no Tibet, que teve como temática o orgulho do homem e o respeito ao próximo. Eles também discutiram sobre situações em que podem colocar em prática os conhecimentos obtidos com a reflexão sobre o filme.

“Recentemente a PM foi alvo de críticas pela forma de atuação em locais onde grupos religiosos se reúnem. Apesar da utilização dos procedimentos corretos, solicitando que o som usado nos cultos fosse diminuído para não incomodar a vizinhaça, é sempre importante relembrar o uso do bom senso nestes casos e em seguida o procedimento policial adequado, como a lavratura do TCO, completou a comandante do BPEsc.

MinC e governo do Acre assinam termo para execução do Mais Cultura

Ministro Juca Ferreira participa da abertura da Semana Estadual de Cultura

logo2O ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o governador em exercício do Acre, César Messias, assinam nesta segunda-feira, 5 de outubro, um termo para a execução conjunta de ações do Programa Mais Cultura. A iniciativa ocorre durante a abertura da II Conferência Estadual de Cultura do Acre, às 18h30, no Teatro da FIRB/FAAO (Estrada Dias Martins 894, Jardim Primavera).

Participam do evento a secretária de Relações Institucionais do Ministério da Cultura (SAI/MinC) e coordenadora executiva do Programa Mais Cultura, Silvana Meireles; o coordenador geral de Relações Federativas do MinC e do Sistema Nacional de Cultua, João Roberto Peixe; o secretário estadual de Cultura, Daniel Zen e o representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Acre, Deyvesson Israel Gusmão, dentre outras autoridades, gestores culturais, produtores e artistas.

Mais Cultura – As primeiras ações da pactuação prevêem a implantação de duas bibliotecas comunitárias, modernização de duas bibliotecas públicas municipais e seleção de dez Pontos de Leitura (iniciativas de fomento à leitura) e dez Pontinhos de Cultura (iniciativas lúdicas voltadas a crianças e adolescentes) por meio de editais públicos. Os recursos somam R$ 590 mil, sendo R$ 343 mil do MinC e o restante contrapartida do governo estadual.

Outros R$ 2,1 milhões serão investidos na reforma e ampliação da Biblioteca Pública Estadual Padre Trindade, localizada no município de Cruzeiro do Sul. Os recursos, R$ 1 milhão do MinC e R$ 1,1 milhão do estado, serão aplicados na ampliação do acervo e do espaço físico, digitalização de obras, capacitação e acesso à mídias diversas, como vídeo, áudio, mídia digital e internet.

O acordo prevê ainda apoio a 10 Cines Mais Cultura, com investimento de R$ 150 mil do Ministério da Cultura. O Acre será o primeiro estado a implantar Cines Mais Cultura em todos os municípios do estado.
Em um cenário de concentração das salas de cinema comerciais em 8% das cidades brasileiras, o Acre sai na frente para alterar esse déficit, graças a parceria entre Ministério da Cultura, por meio do Mais Cultura, e  governo estadual.

O Programa Mais Cultura, que integra a agenda social do governo federal, tem por objetivo democratizar o acesso da população a equipamentos e serviços culturais de qualidade.

Sistema Nacional de Cultura – O seminário do Sistema Nacional de Cultura (SNC) no Acre acontecerá conjuntamente com a II Conferência Estadual de Cultura, no âmbito da Semana Estadual de Cultura. As palestras e debates do seminário serão realizados nos dias 5 e 6 de outubro e da conferência nos dias 7 e 8. Leia mais.

Filme conta a vida de jóquei alagoano

Juvenal Machado venceu cinco vezes o GP Brasil de Turfe

Agência Alagoas

Chegou a vez de Alagoas conhecer a trajetória brilhante do jóquei alagoano Juvenal Machado. Em 32 anos de carreira, ele venceu cinco vezes o GP Brasil de Turfe. Nas pistas da Gávea, no Rio de Janeiro, o homem era imbatível. Ele venceu mais de quatro mil vezes. Ficou tão conhecido que, aos primeiros galopes, o locutor oficial do Jockey Club, Ernani Pires Ferreira, já anunciava: Lá vem o Juvenal.

O bordão virou o titulo do filme, que será apresentado nesta segunda-feira, a partir das sete e meia da noite, no Teatro Gustavo Leite, com entrada franca. O documentário é uma iniciativa da Fundação Delmiro Gouveia, em parceria com o governo do Estado, via Secretaria de Estado da Cultura. Na próxima sexta, dia 9, Lá vem o Juvenal será exibido em Delmiro Gouveia, onde funcionava o Cine Pedra, criado por Delmiro Gouveia em 1915. O documentário será o primeiro do projeto o Cine mais Cultura, que exibirá filmes semanalmente.